home

A “Caminhada Nacional Contra a Liberação da Maconha… Pela Vida!” atingiu o objetivo de que haja um plebiscito para a decisão sobre a liberação da maconha. Além disso, conquistou o reconhecimento público e político de que a descriminalização da maconha não passa de uma máscara para disfarçar a liberação para o uso recreativo. Inclusive, houve uma audiência pública onde o pleito ocorreu e o reconhecimento aberto da libertinagem existente nas aspirações pelos usuários, viciados, políticos envolvidos.
Mas a voz do povo brasileiro jamais será calada, em dezembro deste ano haverá outro movimento ainda mais impactante e inédito, com novos objetivos a serem alcançados.

Confira no vídeo abaixo

 

Audiência Pública no Congresso Nacional com o Xamã Gideon dos Lakotas,
realizada na Câmara dos Deputados em Brasília no dia 26 de abril de 2012.
Audiência Pública no Congresso Nacional com o Xamã Gideon dos Lakotas, realizada na Câmara dos Deputados em Brasília no dia 26 de abril de 2012.
Clique aqui para assistir a Audiência Pública do dia 10/08/2011

 

 

PLEBISCITO JÁ

Você é a favor da liberação da maconha?

Você daria maconha ao seu filho?

Pode meia dúzia de políticos decidirem

por duzentos milhões de brasileiros?

Você quer transformar o Brasil

em um país de viciados?

A liberação da maconha é o sonho de todos os traficantes!

O destino da Nação está em nossas mãos, não podemos nos calar num momento tão importante.

O povo brasileiro não aceita que uma decisão tão séria seja tomada apenas por uma cúpula de políticas burrocratas.

O PLEBISCITO é um DIREITO de todos os cidadãos, garantido pela Constituição Federal!

É o povo brasileiro quem coloca o política aonde está, e também quem pode depor … PLEBISCITO JÁ!

Movimento Nacional - Contra a liberação da Maconha

www.PELAVIDA.org

Moviemento liderado pelo Escritor Gideon dos Lakotas

 

Após ler a mensagem abaixo, a qual foi escrita dentro da ciência, razão e bom senso, responder às perguntas que lhe são feitas, você terá uma ampla visão para realmente avaliar se é a FAVOR ou CONTRA a liberação da maconha.

Mensagem escrita pelo escritor ecumênico Gideon dos Lakotas

CAMINHADA NACIONAL

CONTRA A LIBERAÇÃO

DA MACONHA… PELA VIDA!

Você daria maconha ao seu filho?

 Há razões para sermos CONTRA A LIBERAÇÃO da maconha? Já se perguntou em relação à liberação da maconha quais pessoas estão por detrás deste movimento e por que estão fazendo isto? Quem ganha mais com toda esta história de liberar a maconha no Brasil?

 Ao menos se pergunte isto!

 Ainda não percebeu que por detrás deste projeto, está a forma encontrada por alguns políticos falidos para conseguir votos novamente. E isto se aplica, sim, ao Fernando Henrique Cardoso do PSDB. E, aliás, será mesmo se o PSDB apoia de fato estas idéias do FHC ou já é ele se utilizando do nome do PSDB para lançar sua opinião deturpada da vida? Deixamos bem claro que a menos que nos apresentem provas do contrário, não acreditamos que o PSDB esteja apoiando a liberação da maconha e das drogas no Brasil.

 Primeiramente, quem foi o presidente Fernando Henrique Cardoso e como foi o seu governo? Reflita:

- Onde está a melhora na saúde pública que o FHC fez? Não fez!

- Onde está o salário mínimo digno do trabalhador que o FHC implantou? Não implantou!

- Onde está a melhoria na segurança que o FHC realizou? Não realizou!

E sendo o FHC um professor sociólogo, como gosta de se intitular, onde está a grande melhoria na educação digna de um Professor-Presidente?

Gente, o ensino no Brasil está um caos e hoje muitos jovens chegam ao segundo grau sem saber realizar as quatro operações básicas e escrevendo “açúcar” com “SS”!

Com exceção do “real”, onde teve sim uma pequena participação do FHC, nada mais se há para relatar de bom sobre seu governo. Inclusive o fato é de que até o “real” foi uma exigência estrangeira!

Só não enxerga quem não quiser: aquelas colocações que estão na mídia, que enaltecem a imagem do FHC como grande sociólogo, como “grande presidente”, como “grande personalidade”, etc, são espalhadas por pessoas ligadas ao próprio FHC, ao próprio partido político dele, pessoas que também lucram com isto de uma forma ou de outra. Ainda não percebeu que até os resultados obtidos nas reportagens do fantástico não condizem com a realidade? Basta observar ao seu redor para perceber isto, então abra os olhos!

Ainda há outra possibilidade em toda esta história: um grupo de políticos ativos buscando novas fontes de votos, para se preservarem, lançam uma campanha de resultado imprevisto através de um político “queimado”. Assim podem observar a reação popular sem o risco de se “queimarem” também. Compreende?

Quantas vezes ouviu afirmações absurdas como:

- “Preto não presta”;

- “Veado, tinha que matar tudo”;

- “Homem que é homem tem que fumar cigarro”;

- “Maconha é droga segura e os médicos receitam”;

- “O uso da maconha é saudável porque ela é natural”;

- “Cobra quando vai beber água deixa o veneno numa folha” etc.

Se parar de ficar repetindo o pensamento dos outros e passar a pensar por si mesmo, vai descobrir coisas como:

- Que na etnia negra se encontra o DNA de todas as demais etnias. Que são fortes, bonitos e são nossos irmãos, assim como todas as demais etnias do mundo.

- Que ser homossexual não faz da pessoa um criminoso e promíscuo.

- Que para ser homem não precisa ser tabagista.

- Que você não conhece nenhum médico que receita maconha aos seus pacientes. E como é que a maconha pode ser uma droga segura se, até na legislação o maconheiro é reconhecido oficialmente como se fosse um doente?

- Que veneno de cobra, cogumelo, lírio e trombeta também são naturais, mas você usaria? Os daria ao seu filho?

- Que as cobras possuem bolsas de veneno fora do esôfago.

Portanto, para se adotar uma postura, com bom senso… Para se tomar uma decisão, com razão… Para defender uma causa, com a verdade… É necessário antes avaliar todo o contexto, toda a situação, mas se baseando sempre na sua própria experiência, se baseando sempre no que você mesmo viveu e presenciou. E não naquilo que outras pessoas ficam defendendo e dizendo ser ou não ser. Você precisa pensar por si mesmo, formar sua própria opinião baseada em seus próprios pensamentos e parar de ficar repetindo os pensamentos vindos de outros.

Observando por si mesmo vai descobrir que mais de 90% de todos os pais, mães, professores e empresas são contra a liberação da maconha. Vai observar inclusive, que a maioria das pessoas que dizem apoiar este movimento encabeçado pelo ‘FHC político do PSDB, o fazem por falta de uma maior reflexão, o fazem por nunca terem feito a si mesmo certas perguntas como:

- Acaso já viu algum estudante que começou a usar maconha, melhorar seu aprendizado e suas notas?

- Acaso já viu um operário que começou a usar maconha, melhorar seu desempenho?

- Acaso já viu um pai de família que começou a usar maconha, se tornar um pai melhor e/ou aumentar a harmonia, felicidade e prosperidade do lar?

- Acaso quase que 100% dos casos de uso da maconha não progridem para a cocaína, craque e dependência química? Decepção, ruína, sofrimento e constrição da dignidade humana?

- Acaso confiaria sua filha a um pajem emaconhado?

- Acaso daria maconha ao seu filho?

O que não se deseja para si mesmo, não se pode desejar aos outros!

- Acaso já viu uma pessoa que começou a usar maconha melhorar sua memória e concentração?

- Acaso já viu uma pessoa que começou a usar maconha melhorar sua auto-estima?

- Acaso já viu uma pessoa que começou a usar maconha assumir maiores responsabilidades?

- Você viajaria em um avião cujo piloto está emaconhado?

- Você aceitaria ser operado por um cirurgião emaconhado?

- Acaso gostaria de viver em um país de drogados e viciados?

Por fim, querem proibir o cigarro, mas liberar a maconha!?!

Que contradição!

COMO FICOU A HOLANDA APÓS TER LIBERADO A MACONHA?

 

ARREPENDIMENTO NA HOLANDA PELA LIBERAÇÃO DE DROGAS

Holanda: arrependimento pela liberação de drogas e prostituição

A Holanda, um dos países mais liberais do mundo, está em crise com seus próprios conceitos. O país que legalizou a eutanásia, o aborto, as drogas, o “casamento” entre homossexuais e a prostituição, reconhece que essa posição não melhorou o país. Ao contrário: aumentou seus problemas.

Em matéria publicada na revista Veja de 5 de março, sob o título Mudanças na vitrine, o jornalista Thomaz Favaro ressalta que, desde que a prostituição e as drogas foram legalizadas, tudo mudou em De Wallen, famoso bairro de Amsterdã, capital holandesa, onde a tolerância era aceita. “A região do De Wallen afundou num tal processo de degradação e criminalidade que o governo municipal tomou a decisão de colocar um basta.

Desde o início deste ano, as licenças de alguns dos bordéis mais famosos da cidade foram revogadas. Os coffee shops já não podem vender bebidas alcoólicas nem cogumelos alucinógenos, e uma lei que tramita no Parlamento pretende proibi-los de funcionar a menos de 200 metros das escolas. Ao custo de 25 milhões de euros, o governo municipal comprou os imóveis que abrigavam dezoito prostíbulos. Os prédios foram reformados e as vitrines agora acolhem galerias de arte, ateliês de design e lojas de artigos de luxo”.

A matéria destaca ainda que a legalização da prostituição na Holanda resultou “na explosão do número de bordéis e no aumento da demanda por prostitutas”. Nos primeiros três anos de legalização da prostituição, aumentou em 260% o tráfico de mulheres no país. E a legalização da maconha? Fez bem? Também não. “O objetivo da descriminalização da maconha era diminuir o consumo de drogas pesadas. Supunham os holandeses que a compra aberta tornaria desnecessário recorrer ao traficante, que em geral acaba por oferecer outras drogas. (…) O problema é que Amsterdã, com seus coffee shops,atrai ‘turistas da droga’ dispostos a consumir de tudo, não apenas maconha. Isso fez proliferar o narcotráfico nas ruas do bairro boêmio. O preço da cocaína, da heroína e do ecstasy na capital holandesa está entre os mais baixos da Europa”, afirma a matéria de Veja.

O criminologista holandês Dirk Korf, da Universidade de Amsterdã, afirma: “Hoje, a população está descontente com essas medidas liberais, pois elas criaram uma expectativa ingênua de que a legalização manteria os grupos criminosos longe dessas atividades”. Pesquisas revelam que 67% da população holandesa é, agora, a favor de medidas mais rígidas. E ainda tem gente que defende que o Brasil deve legalizar a maconha, o aborto (no editorial passado, vimos o caso de Portugal), a prostituição etc, citando a Holanda e outros países como exemplo de “modernidade”.
Veja o caso da Suíça. Conta Favaro: “A experiência holandesa não é a única na Europa. Zurique, na Suíça, também precisou dar marcha a ré na tolerância com as drogas e a prostituição.

O bairro de Langstrasse, onde as autoridades toleravam bordéis e o uso aberto de drogas, tornara-se território sob controle do crime organizado. A prefeitura coibiu o uso público de drogas, impôs regras mais rígidas à prostituição e comprou os prédios dos prostíbulos, transformando-os em imóveis residenciais para estudantes. A reforma atraiu cinemas e bares da moda para o bairro”.

E a Dinamarca? “Em Copenhague, as autoridades fecharam o cerco ao Christiania, o bairro ocupado por uma comunidade alternativa desde 1971. Avenda de maconha era feita em feiras ao ar livre e tolerada pelos moradores e autoridades, até que, em 2003, a polícia passou a reprimir o tráfico de drogas no bairro. Em todas essas cidades, a tolerância em relação às drogas e ao crime organizado perdeu a aura de modernidade”.
Dessa “modernidade”, não precisamos NUNCA!

fonte: http://blogsemmascara.blogspot.com/2008/11/arrependimento-na-holanda-pela-liberao.html

Até agosto de 2011, estarei apresentando no Congresso Nacional 07 (sete) Projetos de Lei, onde um destes é especifico sobre a forma com que a legislação é aplicada ao usuário de drogas (maconha). E para tanto, há um grupo de Juízes que, a meu pedido, estão desenvolvendo estes Projetos para que fiquem perfeitos segundo a Lei, já que os juízes são os Doutores da Lei. Comprometeram-se a me apresentar os projetos até junho de 2011 para os trâmites legais no Congresso Nacional. Temos, até a presente data, cerca de seis deputados federais que se prontificaram a representar estes Projetos de Lei no Congresso. Isto por si só já seria mais que o suficiente para que ocorra a votação, contudo faremos de uma forma muito mais impactante, com muito mais força, ou seja, o deputado escolhido para apresentar os Projetos de Lei, levará junto um abaixo assinado de um milhão de assinaturas! O site www.projetolei.org entrou em funcionamento e 05 destes Projetos de Lei já se encontram lá. Os dois Projetos de Lei expostos abaixo, dentro de 10 dias, estarão oficialmente à disposição.

Projeto para acabar com a máfia da indústria das multas de trânsito.

Clique aqui para maiores detalhes

Projeto sobre o usuário de drogas com ênfase na maconha.

Hoje a lei em nada se aplica de fato ao usuário da maconha, pois enxerga o maconheiro como “Incapaz”, não há consequências legais e/ou reais ao usuário de drogas como a maconha, pois são considerados legalmente como INCAPAZES. Tudo bem se a lei assim enxerga, contudo, é muito justo também que o maconheiro tenha sobre si as restrições cabíveis a um INCAPAZ. Por exemplo:

- Acaso uma pessoa reconhecida legalmente como incapaz pode ser professor? Não, pois é um incapaz!

- Acaso uma pessoa reconhecida legalmente como incapaz pode possuir habilitação ou manter a que tem? Não, pois é um incapaz!

- Acaso uma pessoa reconhecida legalmente como incapaz pode pertencer ao Funcionalismo Público Municipal, Estadual ou Federal? Não, pois é um incapaz!

- Acaso uma pessoa legalmente reconhecida como incapaz, pode votar? Não, pois é um incapaz!

- Acaso uma pessoa reconhecida legalmente como incapaz pode assumir financiamentos? Óbvio que não, pois é um incapaz!

- Acaso uma pessoa reconhecida legalmente como incapaz pode cursar universidades Estaduais e Federais? Nem pensar! Os maus profissionais que se formam hoje são a prova disto. Um ser legalmente tido como incapaz precisa é de tratamento!

Clique aqui para maiores detalhes sobre os demais Projetos de Lei

Este movimento pró-maconha é apenas mais um pequeno movimento, mas que pode ficar grande se houver omissão das pessoas de bem. Este é o momento de concretizar a Caminhada Nacional Contra a Liberação da maconha… Pela Vida, em plena Av. Paulista na capital de São Paulo, dia 30 de Julho do corrente ano e ainda darmos sequência com um show musical espetacular.

É uma causa comum à todas as comunidades Evangélicas, Católicas, Kardecistas e mesmo agnósticas.

O problema e sofrimento vindos pela maconha e outras drogas estão em todas as casas, independente da denominação e credo religioso que professe. Diz respeito a todos nós, tementes a DEUS, independente da igreja que escolheu seguir. A todos que tem o SENHOR JESUS como norte seguro para seguir. Responda:

Consegue imaginar o SENHOR JESUS PITANDO MACONHA?

Consegue imaginar o SENHOR JESUS DANDO MACONHA ao seu filho?

Consegue imaginar o SENHOR JESUS SE CALANDO ANTE UM MOMENTO DESTE?

“Então sendo Ele o nosso exemplo maior, que façamos igual!”

E continuando nesta reflexão sadia e ecumênica:

- Quantos pais e mães tiveram o sonho da auto-realização por intermédio de seus filhos, destruídos e carcomidos pela maconha e outras drogas aninhadas em sua descendência?

- Quantas famílias se afundaram na tentativa de socorrer um de seus entes amados que entrou na dependência química?

- Acaso as famílias Evangélicas, Católicas, Kardecistas e até Agnósticas estão isentas destas situações? Não!

Então temos uma causa comum, percebem?

Nós somos a esperança deste momento de dizer a estes poucos que apoiam a liberação das drogas, que no Brasil a grande massa tem bom senso e quer o melhor para seus entes amados.

Este é o momento de cada pessoa que se sentiu prejudicado, direta ou indiretamente pela maconha e outras drogas, perceber que é importante, e que faz sim diferença.

Vamos juntos nos esforçar e sermos ecumênicos neste momento, dar tudo de nós para concretizarmos a maior caminhada já vista no Brasil e dizer “NÃO À MACONHA”!

Se nos omitirmos agora, o árduo preço a ser pago será por nossos filhos e netos.

A grandiosidade de uma nação é apenas o reflexo de sua cultura. Que grandiosidade pode ter uma nação de emaconhados?

Sua participação é importante porque você é importante, porque você faz diferença… Participe!!!

A Califórnia é tida como um paraíso das drogas nos EUA. Seu governador, Arnold Schwarzenegger, quis também liberar a maconha. Lá o voto não é obrigatório, vota quem quer. Contudo 80% da população ativa da Califórnia compareceu às urnas somente para dizer “NÃO À MACONHA”!

Você verá! Pessoas dividirão despesa para virem de carro, outros nas rodovias pedirão carona, lotações de ônibus virão de diversos Estados. Faixas de diversas denominações religiosas e doutrinárias estarão presentes na CAMINHADA NACIONAL CONTRA A LIBERAÇÃO DA MACONHA… PELA VIDA!

Temos sim o apoio das policias Federais e Estaduais. Verão que a PM do Estado de SP nos acompanhará com um grande contingente a pé de policiais fardados e ainda vão nos escoltar com diversas viaturas à nossa frente, por trás, pela esquerda e pela direita. Caminhões do corpo de bombeiro com suas sirenes ligadas também festejarão. Um trio elétrico com forte som estará no meio da Caminhada tocando músicas que edificam a mente e a alma.

- Sabia que o precursor do movimento hippie no mundo, o Dr. Martin Luther King, combatia as drogas e que pregou um sonho de Liberdade e Igualdade numa sociedade formada por homens lúcidos, sóbrios e conscientes?

- Sabia que o slogan “Hippie que fuma maconha não é hippie… É micróbio”, foi criado nos anos 60 pelos ativistas do sonho hippie do Dr. Martin Luther King?

Portanto, em homenagem ao sonho lúcido e sóbrio do Dr. Martin Luther King, na frente da Caminhada, 100 homens e mulheres HIPPIES AUTÊNTICOS, vestidos a caráter no estilo rebeldia de Raul Seixas e Janes Joplin seguirão brandindo uma grande faixa escrita:

“Hippie que usa maconha não é hippie… É micróbio!

Já fui um maconheiro… Mas me libertei!”


“Uma pesquisa muito interessante”

(Realizada no Carnaval de 2010)

Aqui no instituto que eu e minha esposa fundamos há 7 anos, como cerca de 40% das pessoas que nos procuram o fazem por razões de vício em drogas e dependência química, realizamos durante o carnaval de 2010 junto de alguns profissionais 3 pesquisas muito interessantes, cujas resultados definitivamete não condizem com as informações fornecidas pelo Fernando Henrique Cardoso em sua entrevista no “fantástico”.

- A primeira pesquisa foi para constatar se é o álcool, a maconha, ou ambos, são o portal de entrada para drogas mais pesadas como a cocaína, craque, oxi etc;

- A segunda pesquisa foi para verificar qual a porcentagem das pessoas que mesmo presenciando o uso de maconha e outras drogas por algum familiar permaneceram favoráveis à liberação da maconha.

- A terceira pesquisa foi para obter o levantamento do percentual de pais de família acima de 30 anos de idade, usuários de maconha e/ou outras drogas, que dariam maconha aos seus filhos.

PRIMEIRA PESQUISA

Perguntamos a 100 ex-alcoólatras e 100 ex-maconheiros se haviam usado outras drogas em algum momento.

Resultados obtidos:

- Ex Alcoólatras: Dos 100 entrevistados, 6 pessoas responderam que fizeram uso de outras drogas e 94 responderam que se mantiveram apenas no álcool. Isto mostrou que somente 6% dos ex-alcoólatras progrediu para a maconha e outras drogas.

- Ex Maconheiros: Dos 100 entrevistados, 97 pessoas responderam que passaram a usar drogas mais potentes e 3 pessoas responderam que se mantiveram só na maconha. Isto mostrou que 97% dos usuários de maconha progride para drogas mais pesadas. Somente 3% permaneceu só na maconha.

Dando seqüência, perguntamos a estes 97 usuários de maconha, se quando ainda usuários eram capazes de admitir a outras pessoas que faziam uso de drogas mais potentes como cocaína, êxtase ou crack etc.

- Dos 97 entrevistados 78 responderam que negavam a outras pessoas que usavam drogas mais potentes como cocaína, êxtase, ou crack.  19 pessoas responderam que assumiam serem usuárias de drogas mais potentes. Isto mostrou que 80,4% dos usuários de maconha não assume ser usuário de drogas mais pesadas. Somente 19,6% dos usuários de maconha assume usar, também, outras drogas mais fortes.

SEGUNDA PESQUISA

Perguntamos a 500 pessoas que têm ou teve familiares usuários de maconha e outras drogas, se são a favor da liberação da maconha e se dariam maconha a seus filhos ou a seus pais.

Resultados obtidos:

498 pessoas responderam que NÃO dariam maconha aos seus filhos ou pais. E que são contra a liberação da maconha. Isto mostra que 99,6% das pessoas que tiveram ou têm familiares envolvidos com a maconha e outras drogas, diz NÃO à maconha.

- E 02 pessoas responderam que ficaram chocados com a pergunta feita “você daria maconha ao seu filho?”, pois nunca haviam pensado por este lado e, que no momento não sabiam o que responder. Isto mostra que 0,4% dos entrevistados não souberam o que responder.

Observe que, em ambos casos, ninguém confirmou que daria maconha aos filhos e ou pais.

TERCEIRA PESQUISA

Nas praias de Iguape, Cananéia e Caraguatatuba, após exaustiva procura em meio a várias centenas de entrevistados, conseguimos encontrar 40 pais de família com mais de 30 anos de idade que assumiam ainda serem usuários de maconha e ou outras drogas. Perguntamos se indicariam maconha a seus filhos.

Resultados obtidos:

37 pais de família responderam que não. Isto mostrou que 92,5% dos pais usuários com mais de 30 anos de idade diz “não à maconha”.

2 pais de família responderam que no caso do filho já usuário de drogas mais pesadas, como cocaína e craque, que recusasse um tratamento em clínica, ele indicaria a maconha como alternativa menos danosa. Isto mostrou que 5% dos pais usuários com mais de 30 anos de idade só indicaria a maconha por não ter alternativa melhor, pois maconha é droga mais leve que cocaína e craque.

1 pai de 47 anos que fazia e vendia bijuterias na calçada respondeu: “Minha mulher me largou há 16 anos e não sei por onde andam os dois filhos que tive. O sistema que é uma droga, e não a maconha! Eu daria sim maconha para meus filhos, pro Lula e até pra Jesus Cristo!” Isto mostra que 2,5% dos pais usuários com mais de 30 anos de idade… Eu nem sei o que isto mostra! Talvez que o governo precise investir mais em tratamentos públicos para maconheiros e outros drogados.

(Pesquisa realizada no Carnaval de 2010)

É no mar revolto que se formam os bons marinheiros. A insana liberação da maconha é apenas mais um movimento encabeçado por meia dúzia de pessoas tentando influenciar uma multidão de homens que ainda não refletiram sobre o assunto. Coisa muito fácil de combater e o faremos!

Dia 30 de julho de 2011, as 10 h na Av. Paulista em São Paulo capital, através de uma grande multidão ajuntada numa causa comum, diremos NÃO À MACONHA e ainda passaremos uma mensagem a estes políticos que pensam em drogar os filhos desta nação:

“Fomos nós que colocamos você aí… Também podemos tirá-lo!”

Conheça as obras literárias do escritor ecumênico Gideon dos Lakotas

 


“Cada atitude tua posta em prática é uma ação que resulta em reações que jamais se extinguem, o que você faz ecoa na eternidade…”

4 thoughts on “home

  1. Right here is the perfect web site for anybody who really wants to understand this topic.
    You understand a whole lot its almost hard to argue
    with you (not that I really would want to…HaHa).

    You certainly put a brand new spin on a subject which has been written about for years.
    Excellent stuff, just great!